Premissas

A criminalidade cresce e se organiza cada dia mais no País e esse avanço está relacionado ao uso de técnicas aprimoradas que burlam as leis e desafiam a polícia e a justiça. Por isso, o Estado e as instituições de segurança pública precisam se modernizar e utilizar tecnologias que promovam os melhores resultados e a segurança da sociedade.

 

Por outro lado, faz-se necessário fiscalizar a aplicação dos recursos públicos, nas esferas federal, estadual, distrital e municipal do País, especialmente diante das dimensões geográficas do Brasil, o que demanda o emprego de tecnologias e a participação da sociedade nas atividades de controle e fiscalização do orçamento e da gestão pública, visando impedir e compelir os desvios financeiros e de finalidade, a corrupção e a ineficiência dos serviços públicos.

 

Nesse cenário, o custo e as especificidades necessárias ao desenvolvimento, execução e manutenção dessas tecnologias impedem que o poder público as desenvolva diretamente, sendo necessário contratar serviços especializados e adequados à resolução dos problemas e promoção de soluções eficazes para as diversas áreas de atuação governamental.

 

Nesse contexto, a AGÊNCIA FEDERAL DE SEGURANÇA, TECNOLOGIA E FISCALIZAÇÃO surge como uma estratégia de parceria na prestação dos serviços públicos, por meio do desenvolvimento de soluções tecnológicas e participação qualitativa em serviços e ações sociais, como diferenciais para uma gestão pública eficiente, eficaz e efetiva.

PÁTRIA AMADA BRASIL